Nos dias que decorrem, cada vez mais casais decidem viver juntos mesmo sem que haja um casamento. Amam-se, querem passar mais tempo juntos, querem saber como é viver 24h com a pessoa amada, querem partilhar as decisões e toda uma vida. É o nosso caso. Decidimos viver juntos há quase dois anos. Quando comunicámos esta decisão as pessoas acharam apressado, ainda que já namorássemos há três anos. Não achamos assim tão pouco e achámos que nos conhecíamos o suficiente para querer partilhar uma vida. Passado este tempo, não nos arrependemos. Mas as pessoas têm sempre uma opinião a dar e é sobre isso mesmo que hoje decidimos abordar: a opinião de quem acha que devíamos ter casado!
Então mas vão já viver juntos?! Mas não é melhor namorarem mais algum tempo ou pensarem no casamento?” Para nós não fazia sentido. Tínhamos começado a trabalhar há pouco tempo, não tínhamos qualquer tipo de estabilidade e queríamos experimentar como era a vida em conjunto. Sim, porque levamos muito a sério o casamento e se é para acontecer, será para sempre!
       “Ah mas se já estão a viver juntos, não há razão para haver casamento“. Então e porquê?! Não somos nós a decidir se queremos ou não casar?! Vocês estão no direito de ir, de aceitar ou não os convites que teremos para distribuir, mas a decisão não compete a mais ninguém do que a nós mesmos. Depois, o que é o casamento? É o assinar um papel que nos unirá para toda a vida. Não achamos que seja uma decisão para ser tomada de ânimo leve, já que é algo que pretendemos cumprir.
       “Mas se queriam casar, casavam logo. Agora já não faz sentido, só por assinar um papel“. Pois se é só um papel, então não há problema de o assinarmos como nos sentirmos confiantes para isso.
       “Então se tinham essa intenção, casavam logo ao invés de viverem juntos. Se corresse mal, divorciavam-se“. Pois então para estas pessoas que alegam esta conversa que aqui estamos a expor, parece haver problemas em estarmos a consumar um casamento antes dele ter acontecido, mas já não há problema em nos casarmos, errarmos, divorciarmo-nos e casarmos outra vez. Será isto? Então o casamento não é algo importante e para a vida?
       “Agora também já não podes casar vestida de noiva. Não vais de branco” dizem as pessoas que se intitulam católicas, mas que, na verdade, não são praticantes. Não faz sentido.
       Tudo isto para expormos a nossa opinião. O casamento é uma opção para a vida, pelo que quisemos ter mesmo a certeza da opção que queremos tomar. Queremos ter certeza de que será algo para a vida. Neste momento, temos toda a confiança um no outro para casar. Já a teríamos talvez na altura, mas a estabilidade emocional de uma vida em casal é muito mais do que paixão e momentos felizes. Actualmente já nos sentimos fortalecidos por todas as coisas por que já passámos juntos. As boas e as menos boas. Faz-nos sentido que seja para vida. Afinal, temos dois felinos e uma amostra de canídea para amar para a vida! Eles unem-nos e nós sabemos que somos almas gémeas verdadeiras. Somos mesmo a personificação da canção de Carlos Paião, onde ela é a cinderela e ele é o Pedro. (Mais lamechas que isto não encontrámos, por isso não podem dizer que não somos românticos o suficiente para casarmos ahah).

A verdade é que eu (Telma) me quero casar. Brinco muito com o Pedro. Digo-lhe que ele tem que se despachar com o pedido, porque eu já não vou para nova e se ele não o faz põe-se a jeito para que venha outro fazer-me a vontade (nããããã!). Eu (Pedro) nunca dei muita importância ao casamento. Para mim sempre foi um papel. Mas revejo-me quando ela me fala num casamento à nossa medida e não à medida do que os outros possam esperar para nós; ao nosso gosto e não como as modas ditarem. Agora resta-nos ter alguma estabilidade em saúde e quem sabe… Não vamos estragar mistérios e surpresas. O futuro o dirá!

       Em suma, este será um passo ao nosso ritmo, ao nosso gosto, à nossa vontade. Acontecerá ou não dependendo de nós. Quem quiser aceitar o convite, aceita. Agora não ditem que quem já vive junto não faz sentido casar-se ou que não é a mesma coisa. Adaptem-se as tradições à actualidade. E já agora, não sejam hipócritas, porque a maioria das pessoas que critica neste sentido, também casou de branco, sem viver juntos primeiro, mas o casamento já ia consumado da mesma forma… Sejam felizes e deixem-nos ser felizes também!
Qual é a vossa opinião?