O casamento deve ser construído todos os dias com base no amor, na compreensão e na partilha de duas vidas como se fosse uma única. Se querem construir esta vida a dois, há discussões que devem ser tidas para conseguirem perceber se este será ou não o caminho certo na vossa relação. Há objectivos de vida que devem ser falados ainda antes do noivado, durante o namoro, para prevenir situações de noivados que no final dão origem à fuga da noiva ou ao noivo ligar no dia anterior a pedir para cancelarem o casamento. Por forma a não chegar a estes termos, é importante que haja uma conversa sobre:

⇢  Vontade de ter filhos.

       Ninguém deve ser obrigado a querer ter filhos, da mesma forma que o oposto também é um pedido demasiado cruel para se fazer a alguém. Este é um dos temas mais decisivos para continuarmos ou não a manter uma relação com alguém.

  Objectivos de vida.

       Há projectos que têm em mente para a vossa vida, dos quais não querem e não vão abrir mão. Isto deve ser discutido porque podem contrastar. O facto de um querer viver na China e outro não querer sair do país é um indício de que algo não vai dar certo. Claro que é comum que esses objectivos se alterem durante os anos que vão passando ou que se adaptem à realidade que vamos vivendo, mas é importante ter consciência das vontades do parceiro/a. É importante que se defina o que se fazer em casal.
discussões a ter antes de casar + conversas antes do casamento + blogue português de casal + pedro e telma + blogue ela e ele + ele e ela

  Perspectivas de carreira.

       Tal como os objectivos de vida, é importante que se aborde particularmente o tema da área profissional a que se está intrinsecamente ligado. Se alguém quer atingir um patamar da empresa que o obrigue a mudar de país de residência ou que o faça ter menos tempo em família, então é um processo que pode ser dificilmente gerido em casal. Nós temos um caso de família muito próxima em que o parceiro viaja muito e não está com a família em épocas festivas. Estão dispostos a abdicar disto?

⇢  O que não gostam um no outro.

       Há alguma insegurança que vos faça sentir mais ciúmes que o que deveria ser natural/ aceite? Há algum aspecto do parceiro/a com que não estejam dispostos a conviver com regularidade? Se ele deixa a tampa da sanita aberta ou ela deixa os cabelos no ralo da banheira após tomar banho são coisas a que se podem adaptar um ao outro. Mas a inércia a conviver com a ambição máxima; o ser extrovertido que só vive bem com barulho, que tem que se acalmar pelo introvertido que gosta de silêncio, são alguns exemplos que podem correr menos bem…

⇢  Segredos que tenham guardados um do outro.

       Não achamos positivo que hajam segredos entre o casal. Mais tarde ou mais cedo esse segredo pode ser descoberto e é muito pior ser algo que se descobre do que ser-nos contado pelo conjugue. Os segredos acabam por degradar a relação mais tarde ou mais cedo. Se vamos partilhar uma vida a dois, então é importante que haja a partilha e confiança inteira no parceiro/a.
discussões a ter antes de casar + conversas antes do casamento + blogue português de casal + pedro e telma + blogue ela e ele + ele e ela
       O efeito bola de neve com coisas simples são os principais casos que dão origem a divórcios. Coisas que inicialmente pareciam não ter importância nenhuma que acabam por escalar a níveis que já não deixam margem para outros fins que não o divórcio. A verdade é que organizar um casamento não é simples, mas consegue ser muito, muito mais fácil que construir uma relação forte, de confiança e duradoura, com conquista diária. Isso é só o início da parte mais difícil do “e viveram felizes para sempre“. Têm que estar dispostos a fazer cedências, a conquistar diariamente, a partilhar, caso contrário não irá funcionar. Não durante muito tempo pelo menos. Sejam felizes. Não sejam só um pouco. Sejam realmente felizes! Não é o mais fácil, mas é como sabe melhor!!
@ph Vera Rute Oliveira.