Estávamos sem vontade de ir para o hotel, e ainda muito despertos, quisemos aproveitar a bonita noite do Porto. Não gostando de discotecas, preferindo aproveitar a calmia da vida nocturna, somente nos seus ares e cheiros, passámos pelo À Parte e fomos perguntar se tinha sobremesas, desconhecendo por completo o local. Qual não foi o nosso espanto, quando demos com o local com uma das melhores sobremesas!

Eu (“Ela”) escolhi uma tarte de caramelo, e eu (“Ele”) escolhi mousse de oreo. Ficámos na parte de fora do restaurante que podem conhecer aqui. Em todos os dias que por lá passámos havia sempre música ao vivo. Era um local acolhedor, bastante colorido e atractivo. Não hesitámos em parar lá quando vimos o ar tão cómodo e alegre.

       O que mais gostamos em visitar os restaurantes e outros que tais em conjunto é que podemos experimentar sempre duas qualidades dos pratos principais e/ ou sobremesas. Dividimos sempre que a comida é maravilhosa. Afinal, o amor também está na partilha do último pedaço. O amor também está em partilhar a sobremesa! E se há coisa que sabemos fazer bem é amar-nos… e por isso aprendemos a partilhar a sobremesa um com o outro! ahah
       A mousse de oreo não ficou das nossas preferências. Pareceu-nos uma comum mousse de chocolate com pó de oreos e uma oreo a ilustrar por cima. As partes mais densas com o gosto da conhecida bolacha estava no fundo. Nós somos bastante apreciadores de oreo e de mousse de oreo… mas a nossa preferida tem mais mau aspecto e o sabor… Bom, o sabor não tem nada a ver com a dita mousse de chocolate, e como esta se assemelhava mais a isso, e não é das que mais gostamos, achámos que ficou aquém do que esperávamos. Estava boa, não pensem que não. Ainda assim ficou aquém das nossas expectativas. Já a tarde de caramelo… Vejam bem, uma vez mais:

 

       A tarte de caramelo desfazia-se na boca! É divinal!! Adorámos! Era uma massa de tarte muito fininha e doce, com um caramelo que se assemelha ao caramelo do conhecido gelado sunday da MacDonald’s. Faz-nos crescer rios de saliva só de nos lembrarmos daquele sabor delíciooooso! Ahhh que bom!

 

         O ambiente também era bastante convidativo. Todas as cores, todos os pormenores com que tudo é servido, deixa-nos satisfeitos. No entanto, vamos admitir que havia alguma confusão e ficámos um pouco espantados com o facto de o empregado não nos saber indicar de antemão qual o melhor vinho do Porto, estando nós numa das mais conhecidas ruas do Porto, na rua das Flores. Entretanto lá se informou com o dono do restaurante que nos aconselhou um vinho de 20 anos, um tawny. Ficámos com curiosidade e decidimos arriscar, mas não compensou os gastos. Não conseguimos apreciar de todo. Pareceu-nos mais moscatel, por isso ficámos meio desiludidos. Claro que tudo se recompôs na ida às caves de vinho do Porto. Afinal, vinhos do Porto é como se diz aquando da busca do nosso par romântico, há uma tampa para cada tacho ahah.

 

       Ainda que tenhamos falhado um pouco enquanto ‘tugas, aqui degustámos boas sobremesas… Já dissemos que adorámos a tarte de caramelo? Do estilo adorar, adorar, adorar? É que é mesmo boa! Recomendamos que a experimentem. Já sabem qual o local onde a encontram…
Já alguém visitou este estabelecimento? O que acharam?