Ambos visitámos esta aldeia dos pequeninos vezes e vezes sem conta na nossa infância. Sabíamos que o local era mesmo uma típica aldeia portuguesa para apresentar aos mais pequenos, e sabíamos que havia um pão com chouriço memorável. Sabia a tempos de infância e era divinal! Foi a pensar nisso, e porque uma viagem à Ericeira ou a Mafra não pode passar sem ir comer travesseiros da Malveira, mas também não pode passar sem visitar este lugar místico e nostálgico, que por lá passámos. Venham daí visitar connosco a aldeia tipicamente saloia, de José Franco!
       Esta aldeia que parece ter parado no tempo está situada no Sobreiro, em Mafra. Facilmente se chega, de Lisboa, a este lugar que foi o sonho realizado de um senhor que o construiu. José Franco, que deu nome à aldeia, nasceu em 1920. Os seus pais já fabricavam pequenas cerâmicas para os camponeses da região, sendo que ele seguiu-lhes o caminho. Tudo começou com peças de cerâmica para casa que vendia na sua olaria e em feiras e festas populares. Mas isto foi mesmo só um começo. Do sonho, chegou à realidade esta pequena aldeia que foi pensada para ser um presépio que reproduzisse os costumes e actividades laborais da sua geração, que conhecia na sua infância. Toda a construção deste espaço se baseia na realidade vivida. As moradias, os bonecos que trabalham nas várias áreas, tudo é construído em pequeno, mas em tudo se iguala à realidade. Uma realidade pequena que foi pensada para mostragem aos mais pequenos, mas que é visitada todos os dias por pessoas de todas as idades.
      Este é um espaço onde os mais jovens podem conhecer o que se passava no país antigamente, e onde os mais velhos podem recordar o que se passou. Recordar os tempos de infância ou conhecer um pouco do que viram os nossos pais na sua infância. É um local para miúdos e graúdos, sem dúvida! É muito interessante visitar este local por ser uma junção de saudosismo, nostalgia, curiosidade… Há tudo isto e muito mais pelo ar deste lugar!
       O centro da aldeia é a olaria onde J. Franco reproduziu cada figura apresentada. Em seu torno existe um completo castelo que nos mostra ainda várias figuras de escala maior, com as casas completas, que nos mostram várias personagens reais, com espaços muito característicos. A escola tem uma sala onde se encontra a professora, existe o espaço do moleiro, do barbeiro, e muito, muito mais! 
        A partir das fotografias não dá para terem noção, mas os pequenos bonecos que aparecem nas fotografias estão mesmo a movimentar-se. Por aqui trabalha-se à séria! Há luzes que clarificam as personagens mesmo em dias escuros de Inverno. Há muito, muito para ver e vasculhar por estes lados… Infelizmente recordamo-nos de visitar este local em condições plenas, o que não acontece actualmente. É que recordamos de visitar esta aldeia quando o seu mentor ainda era vivo. José Franco morreu em 2009. Ainda que tudo esteja a ser mantido a funcionar, algumas peças estão a deixar transparecer a passagem do tempo. Só esperamos que assim que necessário recuperem todos os pormenores desta aldeia e não a deixem desaparecer, por contar tanto da história deste nosso país…
       É importante referir que se deve estar sempre à espreita, pois cada janela e cada porta tem muitos pormenores a mostrar-nos. Nós tentámos mostrar-vos um pouco de tudo. No entanto, como não poderia deixar de ser, deixámos muito por contar para continuarem a ter surpresas ao visitar ou revisitar esta bela aldeia saloia.
       Mesmo os pormenores já esquecidos até por quem viveu todas estas profissões, sendo que muitas já vão desaparecendo ao ser substituídas pelas evoluções da sociedade, por outras formas de produção, estão intactos nesta aldeia. A música actualmente conhecida como pimba, as tascas com as grandes pipas e todos os utensílios que nem nunca chegámos a conhecer, está tudo representado minuciosamente.

 

 

       Resta-nos referir a quem ficou interessado numa visita que esta aldeia está aberta todos os dias das 10h00/18h00, sendo a morada também muito simples de detectar ao perguntar por Mafra, ou recorrendo ao fantástico google maps.
 
      
       Já estamos a pensar nos próximos passeios e ainda há várias hipóteses por Mafra, mas claro que queremos as vossas sugestões do que há de melhor para ver e visitar em Portugal, pode ser?