Eu (Telma) queria há muito tempo fazer a minha tatuagem. Com a crise dos 25 anos a entrar na minha vida, pensei que seria um bom marco. Seria também uma feliz coincidência, porque eu já tive muitas ideias de tatuagens ao longa da minha vida e só uma permaneceu, e era uma tatuagem relacionada com a saga Harry Potter. Uma tatuagem que aparecia como marca na minha pele para o resto da vida na mesma altura em que organizava uma festa de aniversário temática sobre a saga. Pareceu-me tudo muito bem, mas isso deu azo a momentos muito engraçados!
       Eu (Pedro) quis oferecer-lhe a tatuagem. Nunca tenho muito jeito para pensar em prendas e estou sempre muito tempo a pensar o que hei-de oferecer. Esta era uma coisa que ela queria mesmo muito, por isso resolvi que essa seria a prenda dela este ano. Ela quis fazer a marcação e eu comuniquei-lhe a decisão de que seria eu a pagar. Entretanto pensámos em pregar uma partida à família e amigos. Pensámos em fazer as tatuagens instantâneas, daquelas que duram uma semana ou nem tanto, compradas no Gearbest, e depois dizíamos que um de nó tinha feito uma tatuagem. Teria muita graça, mas com tantos pormenores, acabámos por nos esquecer deste detalhe. Só no dia seguinte à festa é que as fizemos, para aparecerem a ilustrar as fotografias. Sim, a primeira imagem que aparece nesta publicação não é nenhuma tatuagem verdadeira, desculpem. Agradecemos muito quem nos disse que ficava bem. Nós admitimos que também acabámos por gostar de ver, mas não é nenhuma destas…
       Fomos então à Ink and Wheels onde trabalha a Mariza Seita, de quem eu (Telma) idolatrava o trabalho. Passo noites a adormecer com ela a fazer desenhos no instagram. Fui tentar marcar com ela, mas só havia possibilidade de marcar para Fevereiro e ela apresentou-me uma solução de tatuar com o Daniel aka @S1dius. Aceitei sem hesitar. Queria muito fazer esta tatuagem e esta era a altura certa. Só quando ia a sair da loja parei para pensar e… Bom, demorei anos e anos para ter certeza que queria fazer a tatuagem e para encontrar o/a tatuador/a certo, que gostasse realmente e agora tinha aceite marcar com alguém cujo trabalho nunca vi… “Já me estou a arrepender” pensei. Entrei no carro e pesquisei o trabalho dele. Foi uma incrível surpresa. Ele tem um traço muito peculiar. É como se os seus desenhos e a sua habilidade artística se modifica-se sempre consoante o pedido feito. Adorei! Achei que tinha sido um muito feliz acaso do destino. E, no dia 24 de Outubro, lá fui eu fazer a minha tatuagem, super cheia de medo. O Daniel teve muita paciência. Desenhou-me exactamente o que queria, quando nem eu sabia muito bem o traço a pedir. Sabia que queria algo pequeno e com traço feminino, e não muito grosso. Em muito pouco tempo lá estava eu a tremer em cima da marquesa para fazer a minha primeira tatuagem.
       Venci os meus medos das agulhas e posso dizer que depois do primeiro traço disse logo “ah… É só isto?! Então posso fazer mais!”. Afinal, isto de fazer tatuagens não é o mesmo que nos arrancarem um rim a sangue frio. Levar uma injecção de peninsulina é beeeem pior. E cá estou eu, com a minha linda e bela tatuagem, que adoro.
       Numa próxima publicação que ainda tenho que escrever, porque esta já ia longa, tenho que vos contar o significado dela e o que representa para mim. Por agora tenho que contar as peripécias. Chega a namorada do meu irmão e o meu irmão à festa e eu ali a virar-lhes costas para notarem a minha tatuagem. Pensavam que era o cabelo, depois a gravata… Tudo menos a tatuagem, até que fiz o sinal, para notarem. Muito rapidamente a namorada do meu irmão diz “aaah que giro! Onde é que compraste? Muito giro! Não é verdadeira, achas?! Está muito bom!!” e bate-me no braço e esfrega com alegria uma tatuagem que tinha cerca de 24h de existência. Tive que jurar pela minha saúde que era verdadeira e só me ria… Foi um momento mesmo muito engraçado. Amanhã conto-vos tudo sobre a tatuagem, está bem?
P.S. – Eu (Pedro) posso confirmar que ela se portou bem, apesar do escândalo que fez ao início e de estar uma pilha de nervos. Venceu mesmo os seus medos.