Fará sentido fazer uma cerimónia religiosa, sendo o que os outros esperam de ti? Fará sentido casar pelo civil se os teus pais fazem questão que cases de forma religiosa? Como tomar esta decisão? Estas questões podem estar a passar pelas vossas cabeças. Estas questões poderiam ter passado pelas nossas cabeças. Só que a verdade é que esta questão já estava respondida de imediato nas nossas cabeças e foi quase uma “não-pergunta”.

        Embora eu (Pedro) tenha estudado a religião católica até ao Crisma, por gosto e insistência da minha mãe, a verdade é que não lhe ganhei gosto ou interesse e pouco sei efectivamente sobre sobre a própria religião. Eu (Telma) quis, em pequena, ser baptizada, quando já estava na adolescência. Fiz a Primeira Comunhão, mas depois acabei por desistir. Nenhum de nós tem o costume de ir à missa. Os dois temos interesse pelas religiões em geral, mas não temos uma própria. Acreditamos que existe algo, alguma energia/ força ou o que queiram chamar, que ajuda a que a vida tenha graça. Digam-nos o que disserem, a verdade é que acreditamos muito que somos todos ateus até o avião começar a cair… O que importa é que vivamos de acordo com a nossa consciência e que nos sintamos bem; que sejamos informados. Portanto, não nos faria sentido ir a uma igreja casar. Até porque “Deus está em toda a parte“, por isso pode bem estar na quinta que alugámos em Sintra.

Igreja + casar ou não na Igreja + casamento tradicional religioso + blogue de casal + ela e ele + ele e ela + blogue português de casal + pedro e telma
       As nossas mães provavelmente gostariam de nos ver entrar numa igreja, mas não falaram nisso. Sabem qual a nossa crença, e sabem que já somos felizes e que já é oficial. Só falta um papel e o notário há-de tratar dessa parte. Elas adoram a quinta, tal como nós. Isso também nos deixa muito felizes. Embora o casamento seja nossa, e que a opinião final seja nossa, é bom saber que quem estará ao nosso lado estará feliz como nós. A avó (minha, Pedro, que partilho de bom grado com a Telma) é que não achou graça nenhuma, mas a verdade é que cada um deve aproveitar e viver a sua vida de acordo com os seus objectivos, com as suas ideias. Mesmo que fossem as nossas mães a mostrar esta versão contra o casamento civil, escolheríamos o mesmo. Respeitamos muito as crenças de cada um, como esperamos que respeitem a nossa. Deve tratar-se disso mesmo: respeito.
Igreja + casar ou não na Igreja + casamento tradicional religioso + blogue de casal + ela e ele + ele e ela + blogue português de casal + pedro e telma
      Achamos que quem deve decidir se o casamento é religioso ou não, devem ser os noivos. Tenham o dia dos vossos sonhos, exactamente como sonharam…
Se gostaste do artigo, segue-nos no facebook e instagram.
Se quiseres ler mais, então não te esqueças de o partilhar e/ou comentar com a tua opinião.