Ontem assistimos a uma reportagem sobre blogues, no sentido de ganhar dinheiro com o mesmo, na SIC (para quem não a viu, poderá assistir aqui), e ficámos muito indignados, tanto enquanto recentes bloggers que somos, mas também enquanto leitores assíduos de blogues portugueses desde há muito! E esta é a altura em que referimos que inicialmente, só nos apeteceu criticar a blogger que de facto esteve mal, mas há muito mais do que isso. Saberás o quê ao continuar a ler.
      É certo que os blogues são algo que agora está a ‘cair na moda’. Nós próprios somos novos por estas andanças… Mas esforçamos-nos todos os dias por ser melhores. Já há muito que lemos vários blogues, mas nunca tivemos a motivação para aguentar com o trabalho necessário na criação de um blogue nosso. Ao ter esta ideia de o fazer em casal, motivou-nos muito mais! Motiva-nos muito mais todos os dias. Neste sentido, como não poderíamos deixar de sentir, consideramos que cada blogue é importante consoante a sua escrita, o seu carisma, o seu trabalho. Recebemos com a mesma aceitação e admiração um bom blogue recente, quanto um mais antigo. Mas claro que admiramos blogues que já conhecemos há muito tempo, tais como os apresentados blogues A Melhor Amiga da Barbie, por Ana Gomes e o blogue do famoso Cláudio Ramos. Achamos muito interessantes os blogues de ambos. Aliás, assim que criámos este nosso blogue começamos a segui-los de imediato com a conta do blogue pelo facebook. Aqui ficam prestadas as devidas homenagens a ambos. Já lemos várias opiniões sobre esta reportagem que tanta controvérsia gerou que viam com olhos mais invejosos ou menos adequados o trabalho por eles exercido. Na nossa pele não gostamos de ler, quanto mais na pele deles… Não é justo! Nada justo, para eles! Por isso mesmo, aqui ficam os parabéns ao seu trabalho. Merecem o sucesso que têm. Parabéns por isso!
      Agora uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa! O que nos deixou indignados foram as palavras da figura pública Vanessa Martins, usando a imagem do seu dito “blogue” Frederica: «Havia aí uma febre de blogues, é verdade, e eu assisto a alguns blogues mas a nível internacional e não havia assim nenhum a nível nacional, nenhum português, que eu gostasse de seguir. Então baseei-me um bocadinho no que eu gostava de ver lá fora e criar o meu próprio blogue”. Começa assim a entrevista que ela deu à SIC. Portanto, no meio de milhares de blogues sobre as mais diversas temáticas, com os mais diferentes estilos que existem a nível nacional, ela não gostava de nenhum. Mais valia dizer que não quis ter trabalho a procurar… Isso teria-lhe ficado melhor! Achamos que foi uma falta de humildade, uma injustiça… Deixa-nos indignados, por desvalorizarem o trabalho feito nos blogues escritos em português!
Não, não se trata de inveja de forma alguma. Nós temos o maior orgulho em realizar cada publicação, a juntar cada letra na formação do que é o nosso blogue, este blogue que partilhamos. Temos orgulho em cada conquista de cada pessoa que se junta para nos seguir e partilhar o nosso espaço. E se ao início só queríamos criticar o facto de  ter uma equipe que trabalha para o blogue, citando “Tenho um fotógrafo; tenho maquilhadora; tenho quem escreve os textos; tenho programador, que é essencial”, e, portanto, não ter um terço do trabalho de todos os demais bloggers têm, após lermos uma publicação de uma outra blogger sobre a reportagem, mudámos de opinião. (Sim, que é para isto que também por cá andamos. Para aprender. Há que declarar quando estamos errados e estar abertos a ver as coisas como elas de facto são!) O facto é que ela, como a Cristina Ferreira no seu Daily Cristina, têm um tipo de blogue distinto, a que em Portugal ainda é visto com maus olhos por parte dos demais bloggers, por não terem o mesmo trabalho de estruturar tudo o que é necessário num blogue. Dá muito trabalho e para isso têm uma equipa. Não, não é errado. O que acontece é que uns procuram ter o mérito por completo do seu blogue, tratando de tudo o que lhe compete para ter o seu espaço virtual. Outros, procuram dar a sua perspectiva, podendo contar com uma equipe, por ser famosos ou não, pois noutros países é possível não se ser uma figura dita pública e ter uma equipa de trabalho no blogue. A diferença está no tipo de blogue que é, bem como nos seus objectivos. No nosso caso, por exemplo, queremos ter o mérito do trabalho por nós desenvolvido a 100% na constituição do nosso blogue. No caso destas figuras públicas pretendem promover a sua imagem e o seu trabalho, bem como estar em contacto com marcas que gostam, deixando o mérito da escrita do texto, das fotografias e demais tarefas para a sua equipa. São formas diferentes, mas são todos blogues, não há motivos para se gerar tal preconceito. (Preconceito esse que também tínhamos e que conseguimos desmistificar graças à publicação da Lucky13 [ver aqui]. Obrigado por isso!). Por outro lado, o que não conseguimos escapar de comentar de forma evidente é o facto de ter usado as palavras que usou, ao referir que não gostava de nenhum trabalho de bloggers desenvolvido em Portugal, com tanto, mas taaaaantos que por dia se fazem erguer, de certeza que nem se esforçou e isso é que é errado. É muito feio estar em público e criticar sem conhecimento de causa, com base em preconceitos. Deixou-nos mesmo indignados, sem haver outra palavra que possa definir o que sentimos.

Para finalizar o comentário, queríamos deixar público o nosso desagrado pela forma como a reportagem fora desenvolvida e mostrada ao público. A forma como levianamente falavam em ganhar dinheiro, levava a pensar que todos procurávamos ganhar dinheiro e o conseguíamos facilmente, o que está longe de acontecer. Cada publicação dá muito trabalho a quem a realiza. Chegar aos pontos de conseguir uma parceria que seja é porque por detrás dela houve muito trabalho da parte do blogger, quanto mais poder ganhar dinheiro com isso… Outro aspecto foi a formatação em si da reportagem, já que não definiram os vários tipos de bloggers que existem, colocando todos ‘dentro do mesmo saco’, o que também ajudou a gerar tanta controvérsia por parte dos bloggers, mas também no público leitor.

Foi ao partilharmos opiniões de outros blogues que surgiu
a ideia de criar esta nossa casa virtual. Um espaço de que
muito nos orgulhamos. É português, como tantos outros…
        Posto isto, gostaríamos apelar a todos os que, tal como nós, seguem blogues e gostam de apoiar o que é português. Tanto em termos de blogues, como em música, literatura, teatro… O que é português é bom! Senão apoiarmos o que por cá se faz, quem vai apoiar? Não sejamos preconceituosos para com os da nossa própria nacionalidade. Em todas as áreas vão haver bons e maus profissionais, mas não é por isso que devemos ignorar todo o trabalho desenvolvidos pelos bons. Mudemos de mentalidades. Tudo depende de ti, porque a mudança pode partir de ti e um dia atravessar o resto do mundo. É por isso que gostamos de ter um blogue. Para partilharmos o que pensamos, o que gostamos… Mas também para tentar desmistificar conceitos e lutar contra os preconceitos! Sejamos mais do que dizer mal. Façamos algo para mudar. Sejamos mais.