Cá por casa as coisas não têm andado fáceis. Precisámos mesmo de uma pausa aqui pelo blogue, bem como pelo canal de youtube. Até tirámos umas férias das redes sociais, se bem que partilhar-nos pelo instagram é tão natural que não nos escapámos de lá totalmente. O que acontece é que eu (Pedro) já estou de baixa há já alguns meses. A nova medicação para a epilepsia não está a sortir o efeito esperado. Sobre isso vou escrever numa outra publicação. Eu (Telma) sai do emprego que tinha e comecei a trabalhar para uma nova entidade patronal, no mesmo sítio, com novas funções e novos horários aos quais tive que me habituar. Enfim, nós já vos tínhamos dito: somos um casal comum, naturalmente feliz, com todos os defeitos e virtudes que isso implica, com toda a realidade possível, a partilhar-nos convosco. Sejam mais uma vez bem-vindos ao nosso espaço virtual. Sintam-se à vontade cá por casa!

      Eu (Pedro) precisei deste tempo para me mentalizar de que não me posso desmoralizar. Há por aí pessoas com o mesmo problema e eu quero ajudar. Quero também ajudar por mim. Quero ultrapassar tudo isto. Já tive os momentos de depressão, a partir de agora será para passar à fase das boas novidades, das coisas boas que sei que estão por vir!

 

        Não se preocupem com ele, que eu (Telma) sou a palhaça de serviço para qualquer ocasião e hei-de animá-lo sempre! Afinal, somos um só. E isto não é para ser lamechas, é mesmo para vos explicar que é assim que nos vemos e que estamos cá para as situações mais difíceis um do outro, não é só para as fases mais fáceis.

       Eu (Telma) aceitei os horários que me propunham de entrar às 7h. Tenho comboio cá pela zona. Só me esqueci que para estar no local de trabalho a essa hora, e para apanhar o comboio, tenho que apanhar o autocarro. Durante uns dias andei a sair de casa por volta das 4.50h para ir a pé uns 30minutos até à estação, para depois apanhar o comboio às 5.30h, para depois esperar quase uma hora pelo metro e depois ainda correr para um autocarro. Estão a perceber que é muito confuso, doloroso e que havia algum risco de percorrer tal caminho de madrugada, não estão? Lá arranjei uma solução para os dias de semana, mas continuava a ter o mesmo problema ao fim-de-semana. Foi então que a família entrou ao ataque! Tenho a casa do meu irmão ao dispor, mas a avó e a mãe do Pedro fazem questão de nos adoptar aos fins-de-semana e de me levar ao trabalho. Sinto-me mesmo mal por fazer outros acordar de madrugada no dia de descanso, mas reconheço que temos uma família do caraças! Somos uns sortudos!! A minha mãe e padrasto ficam com a peste canina… e os gatos ainda tiram umas férias nossas.

 

       Aquele cliché que é dizer-se que “nos momentos mais difíceis é que se sabe com quem contar” ou “a família é para estas coisas” até podem ser frases feitas para a maioria. Para nós, nunca foram tão reais. Sentimo-nos mesmo uns felizardos! E depois de todo este carinho, ainda vos temos a vocês desse lado. Não sabemos como vos agradecer… Mas estamos a esforçar-nos para dizer mais do que um mero obrigado. Estamos a preparar surpresas. No dia 1 voltamos com o canal de youtube em força. O blogue já voltou à rotina habitual. As loucuras continuam a ser para partilhar ao extremo! OBRIGADO por nos fazerem o casal mais feliz que a blogosfera, e este mundo real já viu nos últimos tempos. OBRIGADO!!