Eu recebi uma notificação para me apresentar no tribunal da Comarca da Grande Lisboa Noroeste, nos Juízos da Amadora. Marquei uma hora e lá fui eu contente da vida. Não, não estou a ser irónico. Fui mesmo contente e fui mesmo a tribunal. Esta é uma história insólita que não podem mesmo perder!
       Contámos que deixei o telemóvel em cima de uma mesa na esplanada do Dolce Vita e alguém o roubou. Apresentámos queixa na PSP, já que quem ficou com o telemóvel estava a cometer um acto ilegal. É um crime que deve ser punido. Hoje em dia ao ficar com um telemóvel que não é nosso, além do objecto em si, roubamos muita informação sobre a pessoa, contactos, contas de multibanco etc. É muito mais que um mero telemóvel. Nos tempos que decorrem temos tudo lá escarrapachado e é até perigoso pensarmos nisso. Por isso mesmo achamos que é merecida a investigação e devia ser-se punido por este acto cruel. Agora já tenho outro telemóvel, mas na altura nem me dava jeito tê-lo comprado. Não tive foi outro remédio… Bom, mas o facto é que esse alguém está mesmo a ser alvo de uma investigação criminal e nós conseguimos, ao contrário do que era esperado, reaver o objecto. Sim, está intacto. Não sabemos concretamente como foi reavido, mas o certo é que está agora em nossa posse. Afinal sempre vale a pena apresentar queixa, bem como irmos a todas as redes de telecomunicações pedir para identificar o telemóvel roubado… Dá trabalho, mas no final compensa. Isto a menos que o telemóvel seja da MEO que devia ser obrigada a também ter este sistema de aviso às autoridades, tal como as outras empresas, que aceitam sinalizar os telemóveis declarados como roubados às autoridades, para que os lesados sejam reabastecidos dos seus bens.
Enfim, uma história que correu mal, mas acabou um pouco melhor. Esperamos que através desta partilha possamos ajudar casos como este meu. Assim já sabem o que podem fazer e esperar resultados positivos, porque, como vêem, acontecem.

Já vos aconteceu algo parecido?