Está a decorrer no espaço da FIL, em Lisboa (Parque das Nações), a Feira Internacional de Artesanato, que tem um pavilhão de artes realizadas em Portugal, outro onde está representado o artesanato internacional e um terceiro que abrange comidas e bebidas tradicionalmente portuguesas ou brasileiras, por exemplo. Eu, como sempre, desde que me lembro, estive presente para visitar todos os cantos e recantos desta feira que adoro!
       No primeiro pavilhão não encontras somente as típicas figuras que conheces, como o galo de Barcelos ou o Zé Povinho. Encontras o típico e tradicional português numa mistura das mais modernas aplicações, com os mais diversos feitios, nos mais variados contextos. É fascinante ver que há tanta arte por descobrir e saber que aqui, neste espaço, todos os anos são apresentadas tantas variedades de produtos fantásticos não só internacionais como nacionais, atraindo não só portugueses como também turistas. É, de facto, uma feira como, arriscaria dizer, deve haver poucas no mundo. Por isso mesmo não deverias perder a oportunidade de ir ver todos os detalhes com os teus próprios olhos. Como sei que o melhor mesmo é mostrar-vos, vou mostrar-vos algumas imagens do que por lá se pode encontrar para aguçar a vontade de por lá ires…

Pavilhão 1 – Nacional

Há espaço para tudo nesta feira. Desde têxteis, a azulejos, passando por acessórios de moda etc.
Este fato é um dos vencedores de um concurso de têxtil. Não está tão giro?

 

É tudo feito por ele à mão, dá para acreditar?!
Quem é que não gostava de ter aquela guitarra portuguesa em casa?

 

Pavilhão 2 – Internacional
São mais de 40 países aqui representados, apresentando as mais variadas peças que podem ser compradas directamente do fornecedor, com a possibilidade de regatear preços. Se nas lojas pedem uma fortuna por determinados acessórios de bijuteria, por aqui encontras materiais em prata com valores semelhantes, sendo que aqui ao comprares em maior quantidade, tens a possibilidade de teres um belo desconto.

Gostam de saltos altos? Pois aqui estão belos assentos, que fazem melhor ás costas, meninas! ahah
Sabem que podem criar um completo ambiente de quase qualquer país. Há de facto muita oferta.
E por falar em ofertas, se por lá passarem e não souberem o que fazer com o vosso dinheiro e quiserem ter uma amabilidade gigante para com o casal, podem sempre oferecer-nos um destes candeeiros, está bem? ahah


Pavilhão 3 – Sabores

Ah! E os meninos podem sempre oferecer às meninas uns belos fatos de odalisca… Quem sabe onde isso irá parar… ahah

Depois de vermos os saberes e vermos todos os materiais, é altura de chegarmos ao lado dos sabores, onde também aqui, há variedade e a escolha torna-se difícil. Entre imensos doces regionais e tradicionais, há ainda outras sobremesas, que é a parte mais doce. Por outro lado, há sandes de leitão, de presunto e queijo da serra da estrela, cachorros e muito mais por experimentar.
A caipirinha, a água de côco ou um belo batido é o que geralmente recomendamos, eu e o Ele. Nesta feira há lá um posto brasileiro que costuma estar presente todos os anos e que, no ano passado, nos deixou rendidos! Mas desta vez optei por algo diferente. Ainda não sei se fiz bem ou mal, para ser sincera…

Quando a fome chegou, lá fomos nós jantar o que já é quase tradição para nós:
uma sandes (no caso meia, a dividir com a mummy, porque é enorme!) de presunto e queijo da Serra!
São 6€, mas acreditem que são muito bem gastos!!
E comecei a comer mesmo quando estava a tirar a fotografia!
O senhor que nos atendeu tinha-nos dado um pedaço de pão com queijo e doce. É uma junção formidável.
Não estava à espera, mas é muito bom. Mas não é nada comparado com a bela da sandes! É deliciosa!
E a bebida? Bom, isso já são outros ‘quinhentos’…

 

O que lá pedimos supostamente foi sangria de frutos vermelhos. 3,50€, mas davam este copo tão
giro que achei piada e quis pedir também uma limonada para ficar com o outro copo.

De facto os copos são muitos giros. Primam pela beleza, mas só isso!
A sangria era vinho carrascão e muito mau. Mas olhem que eu nem diria nada, porque o copo é
giro e é frequente sermos levados ao engano com sangria… Mas a limonada… QUE HORROR!
Os limões já estavam azedos e a limonada só sabia a isso. É uma vergonha terem feito tal serviço.
Daqui vem o “não sei se fiz bem” que disse à pouco! Os copos são muito giros, mas a limonada era
intragável e a sangria que não era boa, teve que servir para duas. Não sei se compensou trazer os copos…


Enfim, e esta foi uma amostra do que foi o meu dia de ontem, de passeio pela FIA. A verdade é que acho que não chegou e que tenho que lá voltar com o Ele… E vocês? Já foram ou querem ir? Eu acho mesmo que deviam. É só uma vez ao ano, vale a pena o gasto do bilhete! Ficam então as datas e horários: