Os novos casais surgem pelas redes sociais e chegam-nos até às nossas casas. Uns mais, outros menos verdadeiros, são a realidade dos dias de hoje e vivem autênticos dramas, pelo que hoje decidimos escrever sobre esse assunto: Os dramas de novos casais! Podem parecer uma simples família feliz a aparecer no scroll de uma das redes sociais, mas a verdade é que a maioria das pessoas esconde por trás considerações mais ou menos sérias sobre relações amorosas. A maioria, mas nós não, que nós expomos tudo o que acharmos relevante, sem medo dos julgamentos. Por isso cá vai, segue então a nossa opinião real e as nossas experiências de vida a dois, enfim: os nossos dramas de novos casais!

Os dramas de novos casais

Os dramas de novos casais

       A verdade é que se fala muito dos casos problemáticos que se exacerbaram com o isolamento social, devido ao Covid-19, bem como os mais afectados com a quarentena, pelos mais diversos aspectos. Neste contexto. hoje vamos salientar os problemas que podem surgir em termos conjugais na vida diária que vivemos, que se passavam antes do Covid, que se vão passar depois do covid, mas que são mais notórios nesta época de quarentena que muitos de nós vivemos. Assim, escrevemos abertamente sobre a nossa realidade, e esperamos que isso ajude a melhorar, bem como a viver mais abertamente a vossa verdade. Neste sentido, declaramos os possíveis problemas e acrescentamos soluções razoáveis para estes dramas de novos casais, que na realidade também podem ser dramas de casais com relações duradouras. Os casais…

Largam flatulências como qualquer pessoa.

       Ainda não vimos ninguém a falar daquelas meninas que estão a passar a quarentena com os seus namorados novos e viveram cerca de 50 dias em que fingiram que não cagavam. Perdão. Queremos referir que não lançavam gás arco-íris com purpurinas, qual unicórnio, nem faziam necessidades fisiológicas de carácter sólido. Deve ter sido difícil. #EstamosJuntos #UsemDulcolax

       Bom, na nossa perspectiva, o mito de que o primeiro beijo é o momento mais marcante é isso mesmo: um mito! O momento em que se dá a primeira flatulência é o momento que revela se há ou não intimidade num casal. Há quem ache que é uma falta de educação soltar gazes quer pelas traseiras, quer pela área bocal, num arroto. Para outros é um reflexo de intimidade. Não somos pessoas de andar por aí a arrotar, atenção. Contudo, a realidade é que isto é natural no corpo humano. Já temos tanto tempo em que temos que nos controlar, diante da sociedade, que sabe bem sentir-nos em casa… Não concordas?

Os dramas de novos casais

Comem à vontade com o conjugue.

       Ele estende a mão e ela acha romântico e estende a dela para se entrelaçarem dedos. Só que o romantismo pode terminar com o pedido vocal de pipocas ou batatas fritas, enquanto vêem um filme. Para uns isto pode ser um momento amargo, pois esperava-se um dar as mãos, quando na realidade se assiste a um pedido de comida. Mas ver esta questão da perspectiva real, é algo bonito. Estão à vontade um com o outro para brincar com este tipo de situações e até podem lançar pipocas para rirem com o acontecimento. (Atenção, não é lançar o balde à cabeça. É mesmo só motivo de brincadeira!). É uma provocação para um momento de intimidade posterior de fazer a caça às pipocas perdidas entre a roupa, se é que nos entendem…

 

Respondem correctamente a perigosas perguntas

       Ora assistimos ao momento em que engordam juntos. Comem a comida pecaminosa juntos, sem problemas dos olhares da sociedade. Os quilos a mais surgem naturalmente. Percebe-se então se era amor ou pura atracção física. Assim, pelo meio, surge então a questão: “Este vestido fica-me bem?“. A resposta pode ser perigosa. O facto assente é que sim, que o vestido não assenta tão bem como esperado, após uma compra online, mas qual a resposta correcta? Alguém que não se preocupa diz que sim para evitar problemas de maior. Alguém que quer o melhor para a pessoa que ama diz que não, porque é o caso que se apresenta e não há medo de dar a sua opinião que assim se torna confiável. Se a seguir ocorrer uma agressão da parte da namorada, sabe-se então que está na altura de renovar essa situação amorosa…

Os dramas de novos casais

Tomam banho juntos

       Nos filmes os casais tomam banho juntos e é a perfeição a acontecer na realidade. Mas será isso verdade? será assim tão perfeito? Será que de facto é uma medida eficaz para poupar água? Também temos algo a referir sobre esta matéria idealizada em filmes, mas que pode ser muito difícil quando praticada na vida real. Recomendamos o nosso texto sobre tomar banho juntos!

 

Tiram fotos engraçadas um do outro.

       Não têm medo de ferir susceptibilidades, pois sabem que têm o à vontade necessário para o fazer, livre de julgamentos. Estão à vontade na situação amorosa para se verem em situações menos favoráveis à beleza, porque se sentem amados. Dormem de boca aberta, e zás: foto! Mas não se sentem mal, porque sabem que podem rir juntos da situação. Novos casais não sabem bem como lidar com isto, porque têm que manter a reputação intocável de quem dorme com maquilhagem e cabelo arranjado. É difícil a vida dura…

Os dramas de novos casais

Dormem em conchinha

       Os novos casais acham bonita a ideia dos filmes de que os casais felizes adormecem sempre em conchinha. Vivem na imaginação onírica de que isto é perfeito para a realidade. No entanto, dormir em conchinha pode não ser tão bom quanto imaginas… Já escrevemos sobre toda a verdade sobre dormir em conchinha se quiserem ler.

 

Cuidam um do outro.

       Estamos isolados dos nossos entes mais queridos e em muitos casos, estamos a assistir a casais que se juntam para passarem juntos a quarentena. Antes viviam sozinhos ou com os pais e continuam a procurar o seu espaço individual. É claro que na mudança para uma vida a dois tem que haver aprendizagens e uma delas é saber que existe tempo individual e tempo em casal. É importante que se saiba dedicar tempo de casal, porque numa boa relação o casal cuida um do outro. Fazem máscaras faciais juntos, criam uma espécie de spa. Enfim, cuidam um do outro quase como se de plantas se tratasse.

Ultrapassam os problemas de Verão.

       Aprendemos também nos livros e nos filmes que o amor verdadeiro não pode existir sem um cobertor para unir um casal enroscado por baixo. No Inverno é fácil de cumprir. Só que estamos no Verão e o calor assola-nos e derrete todos os que se tentam aproximar com corpos quentes. Há que saber conversar e chegar a acordo. Um pé a tocar na ponta do pé do outro pode funcionar, diz ela…

 

Facilitam a troca de roupa.

       Para quê complicar se uma peça de roupa de um pode ser usada pelos dois? Os namorados às vezes complicam, mas eu (Telma) confirmo como namorada, noiva e mulher que não há nada melhor do que vestir a camisola do namorado. É aconchegante e serve como um abraço constante. Aproveitem que é uma forma de não derreterem no Verão, digo eu (Pedro).

 

Conversam no wc.

       Não somos nada a favor da partilha de momentos que não acrescentem nada ao casal e, pelo contrário, baixe o nível de amor existente. Assim, não concordamos com as idas à casa de banho em conjunto. Privacidade é essencial à vida. Claro que acaba por acontecer uma conversa enquanto se lava os dentes ou um dos elementos toma banho. Isso achamos natural. Contudo, por favor recomendamos vivamente que evites idas ao wc quando o teu conjugue efectua as suas necessidades fisiológicas de carácter sólido ou líquido. Isso pode ser prejudicial, na nossa opinião. Não serve de todo para aumentar a líbido, não acrescenta, nem beneficia, mas pode ser prejudicial. Não havendo necessidade, não vemos razão para que aconteça.

 

       Há medida que os anos passam, nós sentimos que é como se tivessem crescido raízes que se misturaram entre si. Contudo, ninguém disse ser algo fácil. Deve ser uma construção constante e diária, composta por aprendizagens e melhorias, com espaço para aceitação de falhas. Trabalhem para que sintam que os beijos de despedida nunca são suficientes. Trabalhem para construir a relação perfeita, com todas as imperfeições. Criem o vosso felizes para sempre! O que nós desejamos é que consigam sentir como que uma espécie de campo de força ao vosso redor quando estão juntos, como se nada os pudesse atingir enquanto estão nos braços da pessoa amada. É a melhor sensação do mundo! Encontrar um amor pode levar uma vida inteira, mas quando o encontrares, isso mudará o mundo inteiro e tudo o que viveste até lá!

*Todas as imagens deste artigo são da autoria de @Jude_devir.

Blogue Ela e Ele

Se gostaste do artigo, segue-nos no facebook, bem como no instagram.
Partilha também com quem quiseres e/ou comenta este artigo.
Recomendamos que também leias: