Quem disse que quem passa a passagem de ano em casa não tem nada combinado?! É que nem todos os reveillons passados em casa remetem para roncos de quem dorme num ano e acorda no outro. Nós por exemplo costumamos vestir-nos com toda a pompa e circunstância para este evento, preparamos as iguarias que mais gostamos e adicionamos espumante à festa que se faz a cinco: nós e os nossos patudos, em nossa casa. Chamem-nos velhos, digam que não tem graça, mas esta é a nossa forma de celebrar esta época que para nós significa sempre o início de um novo capítulo na nossa história, com hipótese de sermos melhores pessoas que no ano anterior.

       Na nossa passagem de ano existem tropelias e idiossincrasias muito nossas. Preparamos a mesa com um banquete que dará para celebrar a noite de 31 de Dezembro, mas ainda o dia inteiro de 1 de Janeiro, o que inclui entradas, prato principal e sobremesas. Somos dois, mas nós, na companhia dos nossos patudos fazemos a festa toda. Na altura que antecede as doze badaladas substituímos as passas que nós desgostamos por smarties que adoramos. Todos os anos pedimos desejos coloridos, mas não nos limitamos só a isto. Há todo um ritual. Além dos desejos de início de ano, saltamos de uma cadeira ou, como no caso deste ano, de um sofá. Saltamos juntos, ao mesmo tempo e procuramos cair com o pé direito (embora às vezes seja com os dois pés juntos que também faz falta). Numa das mãos, ou no bolso, temos cada um uma nota para pedir que não nos falte dinheiro. Preferencialmente tentamos que os animais estejam na sala connosco e a cadela é sempre a sacrificada que também salta, mas ela gosta. Do salto e do espumante que acaba por cair no chão ou ser esquecido algures enquanto nos distraímos ao ir bater com as panelas na janela da rua a ver o fogo de artifício e a gritar feliz ano novo a vizinhos que não conhecemos ou para o vazio se estes forem mais tímidos.

       Perguntamo-nos como será a passagem de ano desse lado do ecrã… Esta foi mais uma passagem de ano nossa aqui descrita. Foi a melhor de todas. E o melhor disto? É que para o ano sabemos que será ainda melhor. Fazemos por isso. O discurso mantém-se entre família e amigos. Perguntam-nos se temos planos para a última noite do ano e dizemos que sim, e estranham quando respondemos que passaremos em casa. Convidam-nos para vários outros sítios. Agradecemos e vemos essas sugestões com carinho, porque percebemos que gostam de nós, nos querem bem e por perto. No entanto, recusamos. A nossa passagem de ano é muito nossa. Não sabemos se será sempre assim, por isso resta-nos agradecer e aproveitar cada minuto juntos. Aproveitar cada passagem de ano que possamos aproveitar. Ser felizes o mais que pudermos. Esta foi a nossa passagem de ano. Sem muitas fotografias nosssas, mas com muito carinho para este novo ano que agora começa. Hoje desejamos-te o dobro do que queremos para nós por estares desse lado connosco e manteres o nosso sonho real. Agradecemos pelo novo ano. Agradecemos todos os dias por tudo o que temos. E tu, o que agradeces hoje?