Não queremos outro, porque não gostámos? Não. Não queremos outro porque adorámos tanto que nenhum outro bolo se chega às migalhas destes bolos da marca o bolo da Marta. ADORÁMOS! Ainda não tínhamos tido oportunidade de visitar o Lx Factory (*chibatadas em nós mesmos por isso*) e fomos a primeira vez directamente para visitar a livraria Ler Devagar, onde se encontra à venda. A verdade é que acabámos por não visitar mais spot nenhum neste local, porque temos sempre um íman para a livraria e olhem que está longe de ser pelos livros ( dos quais também gostamos muito!). A verdade é que há literalmente uma panóplia de razões para visitarem esta livraria.
       Há livros nas estantes que vão desde o chão até ao tecto. Perguntamo-nos sempre como vão tirar aqueles livros… Haja gente audaciosa e corajosa. A livraria é dentro de uma antiga fábrica que está reaproveitada para o efeito. Tem dois pisos, sendo que é no segundo piso que está o ponto de venda do bolo da Marta. Pelo nome, não esperem encontrar só um tipo de bolo… longe disso! Há vários, de vários sabores, e será quase sempre um bolo diferente pela nossa experiência.
       O difícil é ver as variedades e conseguir escolher a fatia que preferimos. Como sempre, nós tentamos escolher sempre uma fatia diferente cada um e depois partilhamos. Assim podemos sempre provar dois. São bombas calóricas de fazer suspirar qualquer um e não é por acaso… É que os bolos ao invés da típica massa com farinha, são feitos a partir de suspiros. Depois ou juntam nutella, ou oreo e/ou frutas e o resultado final é sempre surpreendentemente delicioso e desfaz-se na boca a cada garfada.

 

       A verdade é que se sai sempre daqui a suspirar por mais! Como vêem, neste bolo não existe aquela parte mais queimada ou a parte de fora que se come primeiro para deixar o melhor para o fim, como costumamos fazer sempre. Aqui todo o bolo é perfeito, do início ao fim, que é como quem diz da primeira à última garfada.
        Este local só tem dois inconvenientes, na nossa opinião. O primeiro é que os estudantes acham que a livraria é uma biblioteca. Pelos vistos ensinam muita coisa nas universidades, mas nenhuma delas é o devido uso de espaços públicos, incluindo o factor de que nem tudo o que é bancos e tem livros é uma biblioteca onde podemos estudar e fazer os trabalhos. Quem visita o local depara-se sempre com o facto de que as mesas estão quase sempre ocupadas por estudantes e é uma situação embaraçosa quando as meninas saem de trás do balcão e dizem que vão expulsar quem não está a consumir, para nos podermos sentar. A verdade é que eles não se deviam dar a esse desprazer de serem convidados a sair, mas nós é que ficamos envergonhados. Fica aqui o recado para quem faz este tipo de acções: existem de facto espaços próprios para fazer isso, chamam-se bibliotecas. Há várias espalhadas por todo o país. Usem o google!
       O segundo factor que, para nós, é menos positivo é a luz. Relembramos que se trata de uma antiga fábrica, por isso este inconveniente deve ser difícil de contornar. Embora dê um ar acolhedor, a verdade é que as fotografias ficam todas desfocadas e depois queremos vir aqui mostrar a pompa e circunstância deste local, bem como o delicioso bolo ao pormenor e torna-se complicado. ahahh
        Num terceiro piso existe ainda um local para exposição. Há tanta antiguidade que vos fará sorrir. É mesmo um outro mundo para quem valoriza o poder dos livros, para quem gosta de culinária e para quem gosta de ver exposições e museus. Este é, sem dúvida alguma, um dos mais especiais locais a visitar em Lisboa. Recomendamos vivamente a experiência!
       O melhor está dentro desta livraria, afinal, juntando o prazer de uma leitura, com o prazer da gula… se possível na melhor companhia… Então aí podem ser completamente felizes. Só não podem dizer que é com o mais simples da vida, pois este local, a parecer simples no reaproveitamento de todo o espaço, é mesmo muito pormenorizado e tem tanto, tanto a conhecer, que se torna tudo menos simples. É original, é acolhedor, é especial! Visitem.