Quem não se lembra da já quase mítica série infindável?! Pois fiquem a saber que deveriam ter mudado o título para morangos com suspiros. Assim sim, ainda a conseguiriam ter actual ainda hoje. Dizemos nós que ainda não tínhamos sentido o poder desta junção, mas que nos surpreendeu aos dois. Poderia muito bem ser uma das receitas mais típicas do Verão… Mas o que interessa hoje esta partilha?! Não era à segunda-feira que se partilhavam receitas por aqui?! Sim, é, mas hoje é dia de festa, por isso queríamos brindar-vos com sobremesas bonitas. Hoje é dia de… celebrarmos os nossos 4 anos de namoro! Quatro anos a vivermos a vida um do outro, a par da nossa própria. Querem também essa receita? Hoje estamos prontos para um dois em um!
Para a sobremesa:
Ingredientes:

 

  • suspiros;
  • morangos.

Modo de Preparação: 
        Começamos por partir os morangos numa taça. Noutra, à parte, partimos em pedaços os suspiros. Quando quisermos servir (e só quando for para comer, senão o suspiro desvanecesse) colocamos uma camada intercalada de suspiros e morangos até ao topo da taça. Para aprimorar podemos juntar a cereja no topo.

 

 Para o romance de longa data:
        Vivemos sempre um dia de cada vez. Sem darmos conta, cada vez ficávamos mais inebriados um pelo outro. Mais tontos, mais reais, mais um só e com a regra de sabermos que não havia mais regra nenhuma que o amor, o respeito e essa vontade de sermos loucamente felizes. Nesta onda, decidimos morar juntos com menos de 3 anos de namoro. Alertaram-nos para não o fazermos. Afinal, hoje em dia os namoros de longa data já são escassos e as desilusões amorosas que poderiam surgir não eram benéficas ao nosso bem-estar, nem de quem gosta de nós. Tinham medo. Nós só tínhamos medo do que não conhecíamos. Não tínhamos medo de assumir mais a nossa relação. Já a conhecemos bem. Sabemos que é para a vida. Sabemos que é uma relação à antiga, porque somos dois velhos em jovens corpos. Sabemos que os brinquedos, quando se estragam, são para ser restaurados e não deitados fora. Sabemos que não somos brinquedos. Isso é essencial. Não sabemos se são regras, mas sabemos que são sentimentos. É o que nos é certo. Nisto, de ingredientes já estão falados.
        Relativamente ao modo de preparação de um romance de longa data, há que saber bem o que se quer para a vida e saber rever se é o que ambos querem. A partir daí, o importante é acordarem decididos a fazer-se a si próprios felizes e à/ao vosso parceiro, sabendo que essa é a primeira regra e a segunda é não dormirem chateados e trocarem, pelo menos, um beijo antes de dormir. Se esta regra falha, acreditamos ser uma das principais causas de afastamento. Aí a camada superior vai queimando e há-de chegar ao fundo e não sobrar nada. É que é assim que a água fervente derrama, se é que nos entendem.
Esperamos que tenham gostado de ambas as receitas, e que os frutos sejam bem saborosos, românticos e mantenham a frescura que vos fizer felizes. Nós, por cá, temos certezas de que seremos. Esperamos que também o sejam!
Que receitas têm vocês para nos dar?