Quem nos segue no insta stories já sabe que ontem, no Dolce Vita Tejo, eu (o Pedro, o “ele” cá do sítio) fui um cabeça no ar e deixei o meu telemóvel à mão de semear de um qualquer ladrãozeco que descobriu o telemóvel e ficou com ele, achando certa a mensagem de que tudo o que é “achado não é roubado”. Só que não é bem assim. Terem ficado com o meu telemóvel é terem cometido um crime, punido por lei. Ficaram com algo que não lhes pertence. Quando reparei que não tinha o telemóvel liguei para ele, funcionando à primeira tentativa, mas a partir da segunda já dava sinal de desligado. Mesmo assim, esperançoso, liguei para o centro comercial e para uma loja específica. Sei que ou o deixei numa parte da esplanada, junto a uma gelataria ou a o deixei numa loja. Nenhum dos contactos feitos me deu uma resposta positiva, pelo que avancei para uma queixa na esquadra da PSP. Alguns vão dizer “mas para quê?!”. Eu respondo: Há imagens de video-vigilância, por isso ainda há esperança de que seja possível ver a cara do ladrão/ da ladra e identificá-lo/la. A par disso, com um papel comprovativo em como o telemóvel foi roubado e foi apresentada queixa, podemos dar baixa do telemóvel nas respectivas operadoras existentes no país, só que nem todas parecem dispostas a ajudar quem perde um telemóvel… Ou melhor, com as suas falhas, ajuda os ladrões!
          É que nós tínhamos a caixa do telemóvel, portanto tínhamos o IMEI que permite efectuar todo este processo. O que não tínhamos era a factura, já que o telemóvel fora comprado no OLX. Era de um senhor que o tinha ganho de um prémio, por isso vinha ainda selado. Só que a factura, não a temos. Nem achávamos que tínhamos de ter, tendo em conta que quando compramos os objectos, parte-se do propósito que não tenhamos que provar que são nossos com facturas… Pensávamos nós! Para a Vodafone e NOS um papel comprovativo da polícia e a caixa do telemóvel, bem como a nossa palavra, são mais do que suficientes para provar que um telemóvel foi roubado e há que fazer algo quanto a isso. Ambas as entidades são muito atenciosas e o que fazem é bloquear o uso do telemóvel, para que quem o tenha se sinta tentado a ir resolver o problema à operadora. Assim ficam eles com o telemóvel que devolvem ao dono. Só que a MEO não aceita assim tão simplesmente ajudar. Só actua com o comprovativo de compra, porque vá-se lá saber onde arranjámos a caixa, e a polícia não deve ser de confiança… E ainda tiveram a lata de nos dizer olhos nos olhos que hoje em dia isso de nada serve, porque há soluções para desbloquear esse processo de bloqueio de um telemóvel roubado. Por favor, somos nós que somos loucos em achar que a MEO beneficia quem rouba os ladrões? É que agora quem tenha o telemóvel pode ser MEO e continuar a usar sem problemas o NOSSO telemóvel, quando por ajuda das outras operadoras já não era bem assim, a menos que fosse um brutal hacker (segundo a assistente da MEO). Achamos a situação ridícula! Agora obrigam-nos a guardar a factura enquanto quisermos ter telemóvel, a não comprar onde quisermos, mas onde nos dêem factura, senão não saberemos se foi roubado… É que nem tem cabimento algum! Ao invés de ajudarem quem foi lesado, beneficiam quem foi criminoso!!
        Com este texto queremos chamar a MEO à atenção para que corrija essa sua grande falha, e pedimos para isso que partilhem este texto. Porque ontem fomos nós a precisar, mas amanhã podem ser vocês. Ninguém está livre de que tal aconteça! O injusto é não ajudarem o lesado! A par disso, queremos agradecer à Vodafone e à NOS pela atitude íntegra que têm quando a este assunto.